Irrigação por gotejamento versus suspensa (Parte 4)

Categories:
Data: 
Segunda, 5 Junho, 2017

Gerenciamiento de Agricultura Menos Complicado a um Custo mais Baixo

Após alterar para a irrigação por gotejamento, os produtores inicialmente usam menos água, economizam dinheiro e obtêm níveis de produtividade similares aos obtidos com um sistema suspenso. Após a passagem do primeiro ano, o produtor percebe que o sistema é complexo e de alta manutenção. Replicar os resultados do primeiro ano exige várias horas de trabalho e com um olhar atento aos detalhes.

Os sistemas de gotejamento precisam funcionar de forma eficiente ao longo de toda a estação de cultivo. Qualquer falha em um ponto crítico no ciclo de produção pode causar sérias perdas à lavoura. Infelizmente, falhas no sistema geralmente são resultado de manutenção inadequada.

Sistemas de gotejamento precisam de monitoramento de filtro constante e escoamento frequente ou substituições para evitar entupimentos. Os orifícios do emissor variam de 0,2 a 2 milímetros e são facilmente entupidos por algas, depósitos de fertilizantes e minérios como cálcio e ferro.

O filtro do sistema deve ser escoado diariamente para evitar entupimentos, e uma inspeção de todo o sistema deve ser realizada semanalmente. Sem a devida filtragem, as pressões da água podem, no final das contas, romper as linhas entupidas. Produtos químicos também precisam ser incorporados à estratégia de gestão do produtor para dissolver concentrações de minerais que podem entupir os emissores.

Sistemas suspensos exigem menos filtragem, pois os aspersores têm orifícios com tamanhos maiores. Isso faz com que sejam adequados para produtores que obtêm a água para irrigação de lagos e rios. O padrão de aplicação visível também facilita para os produtores identificarem possíveis problemas no sistema antes que afetem adversamente o desenvolvimento da lavoura.

Sistemas por gotejamento são sensíveis e mais propensos a danificar do que sistemas suspensos. Roedores, ervas daninhas cortadoras, trabalhadores, equipamentos mecânicos de colheita e até mesmo o sol podem causar danos aos sistemas de gotejamento.

Os sistemas suspensos usam linhas de PVC, tubulações de aço e termoplásticos resistentes à corrosão. As instalações de conjuntos sólidos chegam a durar entre 10 e 30 anos. A tubulação subterrânea e os tubos de sistemas de conjuntos sólidos permanentes normalmente duram cerca de 30 anos no campo, enquanto os tubos de subida e os aspersores suspensos podem durar de 10 a 15 anos. Os sistemas de conjuntos sólidos também proporcionam os benefícios adicionais da alta automação e de baixas exigências de mão de obra, além da adaptação à rotação das culturas e irrigação de recuperação.

Saber mais

Parte 5: Viabilidade financeira e lucros: Investimento em gotejamento e aspersores

Mais Notícias